Eça de Queirós

wook 15 € Comprar

Assumindo como ponto de partida a aprendizagem da ficção, este livro procura entender a escrita queirosiana como um ofício de memória. Para isso, As Farpas surgem, pois, como um palco e como um laboratório. Como um palco, visto que se assiste ao teatro da realidade política e social traçado como um mundo às avessas, em que a subversão dos valores implica a assunção da vida como farsa; como laboratório, porque a observação da sociedade permite o arquivo (como documento posto em análise para ser diagnosticado)...

Saiba mais

Descrição

Assumindo como ponto de partida a aprendizagem da ficção, este livro procura entender a escrita queirosiana como um ofício de memória. Para isso, As Farpas surgem, pois, como um palco e como um laboratório. Como um palco, visto que se assiste ao teatro da realidade política e social traçado como um mundo às avessas, em que a subversão dos valores implica a assunção da vida como farsa; como laboratório, porque a observação da sociedade permite o arquivo (como documento posto em análise para ser diagnosticado) de uma tipificação do real. Do riso como opinião acabará por resultar a forja de personagens que, recriação das figuras anatomizadas n’ As Farpas, serão sujeitas a um trabalho de individualização - como é o caso de Luísa, n’ O Primo Basílio. Mas não apenas. A aclamada ironia como chave de leitura da obra de Eça encobre e anuncia a ubíqua presença da morte enquanto insuportável revelação da história de cada personagem - mesmo que a domesticação de Thanatos implique a apropriação cénica do cemitério romântico como prolongamento da cidade dos vivos.

Detalhes

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar no site consente a utilização dos cookies. Saber mais